Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o outro cantinho da Maria

este cantinho é um complemento ao cantinho da casa onde publicarei as minhas leituras, os desafios e as minhas fotografias.

o outro cantinho da Maria

29
Set21

um beijo de amor # 29

Maria Araújo

Fui buscar este texto a um post de 2009 e que constava do seguinte:

Há uma biblioteca com livros devidamente arrumados nas estantes.

Cada um dos livros tem uma mensagem.

Com o rato, clicámos na lombada. O livro abre-se.

 Transcrevo uma das que mais gostei:

"Simplicidade´"

A vida é feita de coisas  muito simples... Cada um tem um jeito de se expressar .
Muitos não sabem  dizer "eu amo-te", e acabam por deixar passar o momento, 
deixando escapar a chance de "ser " e "fazer" alguém feliz.

Para viver feliz é preciso muito pouco... Um olhar carinhoso... Um beijo demorado...Uma brincadeira sadia... 

Basta a presença de alguém para que tudo o mais seja só felicidade...
Viva a cada instante com amor e dignidade, e no futuro conte aos seus filhos e netos o segredo para se viver feliz.

Ser amigo é tudo o que importa.

 

Dez beijos inesquecíveis do cinema | VEJA SÃO PAULO

Gost de um beijo demorado. E acrescento um abraço de conforto, apertado.

 

28
Set21

uma esquina marcante # 28

Maria Araújo

pois é!

às vezes, gostaria de, ao virar da esquina, esbarrar-me com um homem lindo, que me peguntasse se não me magoei, que me desse a mão, e, com um sorriso nos olhos, me fizesse dizer para o meu decote " que rapagão giro!"
não é que não tivesse acontecido, mas nada de marcante.

um destes dias vi um:  "oh,meu Deus!, mas não foi na esquina, não.

eu ia com o sobrinho neto.

vinha na minha direcção a poucos metros. e olhei-o.

ele sem máscara.

eu com máscara.

ele percebeu que o olhei com admiração.

o menino fez-me falar para ele,mas quando me cruzei com o rapagão, tive de olhá-lo.

sabe também ver "coisinhas" boas. 

 

27
Set21

um equívoco consertado # 27

Maria Araújo

Este fim de semana foi o aniversário de uma amiga, também amiga da querida Alice.

Lembro-me muitas vezes dela e das festas de aniversário, ou do vinil, que íamos todas.

Infelizmente, não podemos visitá-la ( a minha última visita foi em Janeiro de 2020) , não só porque a pandemia nos impediu, mas também porque a família não permite que ela receba visitas.

Ora um dia, à hora que a Alice ia almoçar a casa da tia, subia eu a avenida, vejo-a  parada junto a uma loja.

Chamei-a, mas ela a não se mexeu.

Pensando que ela não me ouvira, aproximei-me e disse: " Olá, Alice! Não me ouves chamar por ti?"

Ela volta-se e... fiquei de boca aberta.

Pedi desculpa e disse: " Pensei que fosse uma amiga minha.É tão parecida com ela!"

A senhora riu-se e eu, rua acima, comentava para os meus botões: " Incrível como confundi com a Alice!"

E não foi esta a única vez que aconteceu com ela.

E a Alice confirmava que havia alguém muito parecida que confundia as amigas.

 

26
Set21

uma obra de arte # 26

Maria Araújo

 

LeonardoDaVinciMonaLisaFoto01.jpg

imagem daqui

 

em 2009, um grupo de colegas de trabalho decidiu marcar uam visita a Paris, num fim de semana prolongado.

quem quisesse levava os filhos, visto que a Disneyland era um dos lugares a visitar, no penúltimo dia.

o grupo era bastante grande, dividiamo-nos com os nossos colegas mais chegados, salvo um dia ou outro que dois ou três queriam visitar outros lugares  que projectaram, a maioria das vezes andamos juntos.

e a visita ao Louvre, foi um desses dias.

foram uns quantos adolescentes, levei a Sofia comigo, tinha companhia , não se sentiria sozinha.

quando chegamos à sala onde está exposto o quadro da Mona Lisa, era proibido tirar fotgrafias,  a sala estava repleta de turistas, pensamos que dificilmente conseguiríamos vê-la de perto.

 mas conseguimos.

o "oh!" desânimo foi tão grande nos adolescentes quando nos deparamos com um quadro pequeno, do tamanho de uma almofada de dormir, e perguntaram: " esta obra de arte é a Mona Lisa?! que pintura tão pequena!"

 

 

25
Set21

um adormecer tranquilo # 25

Maria Araújo

pois é!

raramente tenho um adormecer tranquilo, sobretudo quando estou cheia de sono. adormeço no sofá, e quando acordo, vou pôr ração no prato da Kat, preparar a roupa para ir ao ginásio, vou escovar os dentes, vestir o pijama e deitar-me... é aqui que o sono se vai.

e quando a Kat decide ir atrás de mim, esconde-se num canto do quarto e,  depois de eu apagar a luz, salta para a cama, passa por cima das minhas pernas, senta-se num dos cantos e...

é ela que adormece num sono tranquilo que me faz inveja.

 

 

 

 

 

25
Set21

uma caminhada curiosa # 24

Maria Araújo

curiosa foi a caminhada que fiz em 2015, com uma amiga e a família, às Sete Lagoas do Gerês.

Foi a partir de Xertelo, onde os carros ficaram estacionados,que fizemos os trilhos até às Sete Lagoas do Gerês. Uma caminhada cheia de aventuras e de descoberta da natureza dos trilhos por onde andamos.

Neste post tenho registado tudo o que vivemos nesse dia.

Mas aqui deixo uma fotografia do quanto amei andar na montanha, seguindo quem muito bem conhecia os trilhos, e usufruir do silêncio, do respeito pela natureza, dos engraçados mariolas, a primeira vez que vi, que sinalizavam o caminho.

E o que fiquei a saber dos muitos fojos dos lobos que por ali existem, foi o de paredes convergentes, o único que vi.

Sabe bem lembrar estes passeios, que tiveram um grande significado para mim, pois nem sei se alguma vez mais irei viver outras aventuras.

18803139_32YaL.jpeg

Fojo do Lobos - Gerês( 2015)

 

23
Set21

um prazer inenarrável # 23

Maria Araújo

20711057_aFJY1.jpeg

 

é um prazer inenarrável o que a minha gata, Kat, deve sentir quando lhe passo os meus dedos pela cabeça, pelas orelhas,pelo nariz lindo e perfeito, pelo queixo, pelas costas...mas as patas,nem pensar, e lhe digo:"minha gata linda, meu doce,minha fofa"

ou quando,à hora de me deitar, lhe digo" anda, Kat"

rabo levantado, ultrapassa-me antes de chegar à cozinha, pára junto à porta do armário onde guardo a embalagem.

ela sabe que vai ter o prazer de uma refeição.

pego no prato ( prefiro este nome a comedouro) e digo: " come, minha gatinha".

e antes de comer, olha para mim.

 

 

 

 

 

 

23
Set21

uma discussão boba # 22

Maria Araújo

 

quando o filho lhe pede colo e ela está demasiado carregada: a mochila dele, a carteira dela, as compras, por vezes, quem a acompanhava tentava tirar-lhas e dizia " dá cá! eu levo"

e ela respondia: "não tem sentido. por que hás-de carregar isso? tu tens problemas de costas!"

e gerava-se uma discussão à qual a mais velha dizia " não tem sentido é seres tu a levar tudo."

e remoiam as duas, até que a mais velha dizia " não sejas teimosa.eu levo, e acabou a conversa"

acabava por ceder. ficavam um pedaço caladas e ficava tudo bem.

 

 

 

 

21
Set21

um sopro de esperança# 21

Maria Araújo

20190308-dente-de-leao-planta.jpg

 

Minha querida amiga, o que escrevi aqui, é para que não te deixes ir abaixo.

O nosso passeio de domingo acabou muito bem.

E no dia seguinte,estavas mais animada e isso deixou-me animada, também.

A vida traz coisas tristes, mas também momentos divertidos, serenos, que tu gostas.

E tens muitos, muitos amigos e amigas que te querem muito bem.

Tens sido uma lutadora, e a próxima batalha vai ser um desafio e tanto.

Mas eu deixo-te aqui o meu sopro de esperança. Acredita nele.

Porque tu sabes que eu sou uma pessoa que tem fé, e esta move montanhas.

 

20
Set21

uma fruta mordida # 20

Maria Araújo

pêra.jpg

 

detesto que depois de mordida a peça de fruta que estou a comer, me peçam uma trinca.

eu não o faço.

mas nos dias que correm, nem sempre dou a mordida que outrora dava.

hoje, lavo a fruta, e quando vou comê-la, tiro a casca.

mas numa  recente ida ao mercado municipal,  comprei, à habitual vendedora de legumes, umas pêras, que ela me garantiu serem muito boas, que caía o sumo pelo mãos de tão sumarentas e boas que eram, que aquelas eram as últimas, não teria mais para vender.

e em casa, depois de bem lavadas, e com a casca, dei uma dentada.

maravilhosas!

fizeram-me voltar atrás no tempo, onde,  numa  parte do terreno junto à empresa do meu avô paterno, tinha várias árvores de fruto:  pessegueiros, pereiras, macieiras. 

a fruta era tão boa, tão boa, que,  no caso das pêras e dos pêssegos, o sumo escorria pelo braço abaixo.

a semana passada, voltei ao mercado municipal, falei-lhe das pêras, respondeu-me ( tratando por tu):
- vistes! eu disse-te que pêras como aquelas não encontravas. e desconfiaste de mim!

 

Mais sobre mim

foto do autor

livro do mês

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub